Se quiser ir rápido vá sozinho. Se quiser ir longe vamos juntos!

Por Amanda Graciano, Minas Gerais


O mês de Setembro foi intenso eu diria.

Fazia muito tempo que, não me sentia tão contemplada em trabalhar tantas horas. Parece hipocrisia, né? Confesso que acreditava que isso não existia.

Tirei 2017 para me jogar. Me jogar no sentido de entrega ao trabalho, aos sonhos, as necessidades que forem aparecendo e que de alguma forma eu poderia ajudar e participar. Talvez, lá no inicio do ano foi uma decisão desesperada de me encontrar, de saber que Amanda eu gostaria de me tornar ao fim desse ano. Eu sinceramente não sabia quem eu queria ser e hoje tenho certeza absoluta que se descobrir é uma constante reconstrução!

Fonte: Arquivo pessoal

Hoje trabalho com empreendedorismo e inovação em diversas áreas mas principalmente, na área de ciências. Tenho tido a oportunidade de conhecer e me envolver com diversos sonhos, projetos e, conhecendo profissionais que buscam fazer diferente e melhor no seu dia a dia. Imagina as pessoas que encontramos? Estudam seus projetos há vários anos, inovaram muito e são referências as suas áreas mas, quando o assunto é traçar um modelo de negócio, pensar a tecnologia também como produto. E além disso, como essa tecnologia pode ser algo frugal? Como as inovações e tecnologias chegam para as outras pessoas do mundo?

O que mais me pergunto é como essas tecnologias chegam ao resto do mundo?

O que 2017 mais me ensinou, até agora ,é que a comunidade tem um valor tão grande que muitas vezes é inexplorado. O que acontece em uma região, ou em determinado setor é fruto da comunidade que cerca determinado tema. Logo, se a inovação chega a certa região, se as pessoas mudam a forma de pensar, de agir e até, a forma de ser, é fruto do ambiente aonde está.

Conheci muita gente boa nesses últimas meses. Essas pessoas não são famosas, não estão na novela, não fazem show todos os dias e se bobear o dia acaba e muita gente não sabe a história da vida deles. A única certeza que eu tenho é que eles trabalham muito para fazer seus projetos pessoais rodarem e além disso, trabalham muito para ajudar que o ambiente aonde estão cresça.

Todos os dias aprendo um pouco mais sobre se doar, crescer junto com os outros e principalmente, que dá pra trabalhar muito e se divertir muito. Setembro assim com 2017 foi e está sendo intenso. E me sinto muito, muito, muito grata por estar, nessa loucura tentando fazer o mundo um tiquinho melhor junto com essa galera.

Techstars Summit 2017 em Floripa 

E a sua comunidade como está? E a sua bolha, como anda? O que você tem feito para crescer junto com a sua comunidade? 

Sobre a autora

Amanda Graciano é economista e está fazendo o seu MBA em inovação e gestão. Ela já atuou em empresas de consultoria de médio e grande porte, aceleradoras de Startups e também em organizações não governamentais. Apaixonada por inovação de negócios e pessoas, Amanda se dedica a apoiar empreendedores para ampliação de negócios e a conectar Startups com mentores e investidores.