A Mulher Negra e a atualidade

Por Marina Farias, Minas Gerais


Durante muito tempo, mulheres negras ocuparam lugares secundários na mídia e também no cenário político da nossa sociedade. No entanto, as últimas décadas têm trazido um novo quadro que desafia padrões e coloca mulheres negras como ponto de referência em vários lugares. É possível notar como a arte, a música, a política, e diversos outros espaços passam por mudanças com a imersão do protagonismo negro antes reservado quase que exclusivamente à pessoas brancas.

Para elucidar esse cenário, escolhi 5 mulheres negras que servem como referência e inspiração para a comunidade negra.

Fonte: Google imagens 

Maju Coutinho

A primeira mulher que escolhi para começar esse texto é a jornalista Maria Júlia Coutinho, mais conhecida como Maju. No dia 19 de fevereiro desse ano, a atual apresentadora do Jornal Nacional estreou como âncora de um dos telejornais mais assistidos do Brasil. É imensurável o poder de representatividade que a imagem de uma mulher negra a frente de um programa jornalístico desse porte pode trazer. Isso acontece porque um padrão estabelecido há muito tempo começa a se desfazer. Mulheres negras de todas as faixas etárias se sentirão representadas e mais que isso, perceberão que qualquer carreira que queiram seguir não depende da cor da pele e sim de oportunidades. 

Fonte: Google imagens 

Michelle Obama

No cenário político, destaco uma das mulheres mais influentes da atualidade. Michelle LaVaughn Robinson Obama, é conhecida não só por ser a 44ª primeira dama da nação mais poderosa do mundo. Além de advogada e mentora da campanha do ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ela têm se engajado em diversas causas pelo mundo. No site oficial de bolsas da Universidade de Oxford, encontrei o seguinte artigo: "Michelle Obama: Redefining Images of Black Women, que em tradução livre significa: "Michelle Obama: Redefinindo a Imagem das Mulheres Negras.

No resumo do artigo científico, destaco já traduzido parte do texto que evidencia a importância da primeira mulher negra a se tornar primeira dama dos Estados Unidos:

"É preciso imaginar qual impacto a senhora Obama trará para a mulher negra, uma vez que ela carrega tantas virtudes - por exemplo, inteligência, franqueza, sucesso profissional, beleza além de ser um ícone da moda. Sua imagem está em contraste com os estereótipos associados a mulheres negras."

Fonte: Google imagens 

Beyoncé

Na indústria do entretenimento, podemos dizer sem medo que Beyoncé é uma das celebridades mais importantes. A cantora, produtora, atriz e dançarina Beyoncé Giselle Knowles-Carter destaca-se por diversos talentos e tudo isso muitas vezes atrelado ao seu caráter político que está presente em sua arte.

Em seu videoclip "Apes**t - The Carters", Beyoncé e seus dançarinos - todos negros - fazem uma performance musical dentro do Museu Louvre em Paris, ao lado de obras famosas. O museu mais visitados do mundo torna-se cenário do vídeo que já tem mais 160 milhões de visualizações.

Quando Beyoncé estava em sua segunda gravidez, escolheu como fotógrafo para sua icônica imagem em meio as flores, o artista da etiópia Awol Erizku de 26 anos, que tem seu trabalho conhecido por ter pessoas negras como tema central de sua obra.

Já no clipe da música "Formation", a cantora afunda um carro de polícia, simbolizando um grito contra a repressão racial tão forte nos Estados Unidos, além de destacar o orgulho de suas origens na letra da música.

Fonte: Google imagens 

Lupita Nyong'o  

Lupita Amondi Nyong'o é uma atriz e modelo mexicana/queniana que em abril de 2014, foi eleita a mulher mais bonita do mundo pela revista People. Ainda que eu considere problemática a questão de concursos de beleza, entendo a importância de uma mulher negra de tom de pele escuro, ganhar um título como esse. Não podemos desconsiderar o fato que vivemos em uma sociedade estruturada para exaltar os traços brancos e eurocentristas. Com isso toda vez que uma mulher negra contribui para a dissolução desse paradigma estético, todas as mulheres negras ganham. Além do título de mulher mais bela do mundo, Lupita Nyong'o foi a primeira atriz mexicana/queniana a ganhar um Oscar na categoria "Melhor Atriz Coadjuvante" no filme "12 Anos de Escravidão''.

Fonte: Google imagens 

Marielle Franco 

E por último, mas não menos importante escrevo sobre Marielle Francisco da Silva. Mais conhecida como Marielle Franco. Nascida da Comunidade da Maré no Rio de Janeiro, Marielle foi uma socióloga, vereadora, ativista, feminista e defensora dos direitos humanos. A vereadora foi assassinada no dia 14 de março de 2018, mas sua luta e trajetória política nunca será esquecida dada sua importância na luta pela igualdade. Além de mulher, negra e periférica, Marielle era também casada com uma mulher. Ou seja, a figura de Marielle representa a junção de vários grupos historicamente marginalizados. Após a sua morte, a vereadora se tornou um ícone de resistência e da luta por um Brasil mais justo.

Sobre a autora


Marina Farias é formada em Jornalismo, além de ter trabalhos internacionais como modelo. Marina já atuou em empresas júnior, startups e eventos, com planejamento estratégico, redação, realização de entrevistas e marketing. Falante de quatro idiomas, ela atualmente trabalha com produção de conteúdo e ensino de inglês.